Métodos de Reprodução é Garantia de Melhoramento Genético?

O Poder das DEPs na Pecuária Moderna: Uma Jornada Científica e o Desafio da Preservação Racial
24 de outubro de 2023
GENÉTICA EM MOMENTOS DE CRISE: INTERROMPER OU INVESTIR?
9 de novembro de 2023

A reprodução e melhoramento genético de rebanhos bovinos são essenciais para a produção de carne e leite de qualidade. A evolução constante dessas práticas impulsionou o desenvolvimento de tecnologias como a FIV (Fertilização in Vitro), IATF (Inseminação Artificial em Tempo Fixo), TE (Transferência de Embriões) e MN (Monta Natural). No entanto, essas tecnologias se referem ao processo de concepção do animal, ou seja, são instrumentos indispensáveis para produzir bezerros e bezerras.  De outro lado, é importante ressaltar que a verdadeira tecnologia de produção e qualidade do produto reside no material genético, seja no sêmen e/ou no óvulo dos bovinos. Este artigo explora o papel dessas tecnologias na evolução do rebanho bovino, e busca trazer a luz a diferença entre o meio tecnológico de concepção de bezerros e a tecnologia que carrega a qualidade dos indivíduos e afastando, de vez, a miopia de muitos em acreditar que levar tecnologia para a fazenda é fazer FIV, TE e IATF.

A Fertilização in Vitro é uma tecnologia de reprodução que revolucionou a pecuária, permitindo a produção de embriões fora do corpo da fêmea, fecundado em laboratório e implantado em outra matriz, chamada comumente de receptora. Essa técnica consiste na coleta de óvulos e sêmen de alta qualidade, resultando em embriões superiores geneticamente. Observa-se que o resultado depende da qualidade do sêmen e do óvulo, ou seja, do material genético. A FIV é apenas o meio pelo qual será gerado o produto final, o bezerro.

A Inseminação Artificial em Tempo Fixo é outra tecnologia que visa melhorar a reprodução bovina. Ela permite que os produtores programem a inseminação em um momento específico, sincronizando a produção de bezerros e consequentemente havendo uma padronização no momento do nascimento. Entretanto, a escolha do sêmen de alta qualidade genética é crucial para maximizar os resultados dos produtos nascido a partir dessa técnica, ou seja, a IATF é mais um meio pelo qual será gerado o produto final, o bezerro.

A Transferência de Embriões é uma técnica que possibilita a multiplicação de embriões, através de uma série de procedimentos em laboratório. A qualidade do material genético é o cerne dessa tecnologia, uma vez que os embriões são transferidos para as receptoras, como na FIV. A TE é uma ferramenta poderosa para disseminar genes de alto valor no rebanho, mais uma vez observa-se que a TE é mais um meio pelo qual será gerado o produto final, o bezerro.

A monta natural, além de sua eficácia, é um dos meios mais baratos e democráticos de se levar tecnologia para o rebanho. Não exige estruturas e recursos especiais para a produção de bezerros de alta qualidade. Basta apenas colocar um touro melhorador entre as vacas, e a natureza segue seu curso. Nesse contexto, a qualidade do touro e da matriz é determinante. A escolha cuidadosa de reprodutores de genética melhoradora é fundamental para garantir que os animais gerados pela monta natural contribuam para a evolução do rebanho. Evidente que a Monta Natural também é o meio pelo qual será gerado o produto final, o bezerro.

As tecnologias de reprodução, como FIV, IATF e TE, desempenham um papel fundamental na evolução do rebanho bovino, permitindo a disseminação de material genético de alta qualidade. No entanto, a monta natural, por sua simplicidade e acessibilidade, continua sendo uma ferramenta valiosa para democratizar o acesso à tecnologia genética. A qualidade do touro e da matriz é central, independentemente do método escolhido. A escolha de touros melhoradores é uma garantia de sêmen com alta tecnologia, capaz de transformar o rebanho em animais mais precoces e produtivos. Portanto, a combinação de tecnologia de reprodução e a seleção criteriosa de touros são os pilares da evolução da pecuária no Brasil e em todo o mundo.

A melhor notícia é que qualquer pecuarista seja grande, médio, pequeno e os pecuaristas da agricultura familiar podem ter o que há de melhor da tecnologia de produção de bezerros sem a necessidade de ter grandes estruturas, pois tecnologia para obter produtos de qualidade não depende do meio de reprodução, mas sim do material genético do reprodutor e da matriz, assim aquele produtor que só tem pasto e cerca na fazenda pode colocar um touro melhorador adquiridos de fazendas de criadores criteriosos que estará levando tecnologia de ponta na produção dos seus bezerros sem perder absolutamente nada para quem usa os outros meios de reprodução animal.

Respondendo objetivamente à pergunta provocativa do titulo desse artigo é NÃO. Método de reprodução é a tecnologia, o meio que se usa para produzir o bezerro, pois fazer FIV, TE, IATF e MN usando touros ou matrizes de baixa qualidade genética o pecuarista estará usando excelentes tecnologias de reprodução para cultivar péssimos animais.

Alexandre Bispo

Economista e Pecuarista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + 17 =

ATENDIMENTO VIA WHATSAPP
Enviar Whatsapp