Exportações de carne bovina recuam em relação a setembro de 2015

Oferta restrita tem possibilitado pagamentos maiores pela arroba do boi gordo
4 de outubro de 2016

Enquanto frangos e suínos tiveram melhor desempenho, embarques da proteína vermelha caíram em volume e faturamento.

As exportações de carne in natura cresceram em setembro na comparação com agosto. Mas só suínos e aves confirmaram desempenho positivo também ante setembro do ano passado, tanto em volume quanto em receita.

No caso das vendas externas de carne bovina, o patamar só ficou acima do de agosto desse ano, sendo registrada queda em relação a setembro de 2015. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 3, pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Em carne bovina in natura, foram exportadas 93 mil toneladas, 3,2% menos que as 96 mil toneladas de setembro do ano passado. A receita, por sua vez, foi de US$ 388,8 milhões, 11,2% a menos do que no mesmo mês do ano anterior.

Já em comparação com agosto último, as exportações de carne vermelha tiveram melhora de 12,7% em volume e 10,6% em receita.

O preço médio recebido pelo produto recuou 1,74% ante agosto (de US$ 4.253,4/t para US$ 4.179,2/t). Também teve queda de 8,13% em relação à media de setembro de 2015, que foi de US$ 4.549,1/t.

Acumulado – Nos nove primeiros meses de 2016, as vendas de carne bovina totalizaram 831.051 toneladas, ante 766.730 toneladas em igual período do ano passado (+8,39%). Já o faturamento ficou em US$ 3,290 bilhões este ano, em linha com os US$ 3,345 bilhões obtidos entre janeiro e setembro de 2015 (-1,64%).

Frangos e suínos – Os embarques de carne de frango in natura somaram 353.400 toneladas em setembro deste ano. Na comparação com mesmo mês do ano passado, a alta foi de 6,1%. O faturamento atingiu US$ 568,4 milhões, 9,9% acima dos US$ 517,4 milhões registrados no mesmo período de 2015. O preço médio da tonelada embarcada, de US$ 1.608,10, ficou 0,65% abaixo do registrado no mês passado, mas 3,52% acima do que o registrado em igual mês de 2015.

No que tange às vendas externas de carne de frango in natura, houve alta de 6,24% no volume acumulado até setembro, no comparativo anual, para 3,064 milhões toneladas, ante 2,884 milhões toneladas. Em faturamento, a queda foi de 3,57%, de US$ 4,737 bilhões para US$ 4,568 bilhões.

Já as vendas externas de carne suína in natura totalizaram 63.000 toneladas, 39,5% mais que as 45.200 toneladas embarcadas em setembro de 2015. A receita somou US$ 153,7 milhões, alta de 36,5% ante os US$ 112,6 milhões registrados no mesmo período do ano passado. No mês passado, o preço médio da tonelada ficou em US$ 2.439, ante US$ 2.206,90/t em agosto e US$ 2.493,50/t em setembro de 2015.

Também no acumulado do ano, o faturamento com as exportações de carne suína in natura avançou 11,40%, atingindo US$ 965,349 milhões ante US$ 866,561 milhões em 2015. Em volume, o avanço foi de 41,14%, passando de 335.822 toneladas para 473.975 toneladas.

Fonte: ESTADÃO CONTEÚDO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × dois =

ATENDIMENTO VIA WHATSAPP
Enviar Whatsapp